Português (BR)
English
Deutsch
Čeština
Eesti
Español (España)
Español (América Latina)
Français
Bahasa Indonesia
Italiano
Japanese (日本語)
Korean (한국어)
Latviešu valoda
Nederlands
Norsk
Polski
Русский
Suomi
Svenska
Türkçe
Українська
Chinese (繁體中文)
Entrar
Todas as categorias
Blog
Base de Conhecimento
Academia
Comunidade

Nenhum resultado para ""

4 maneiras de acabar com seus medos de perguntas sobre preços em vendas

Não importa quanto tempo você está trabalhando com vendas: você está lutando para ser destemido.

Você é do tipo que bate em portas, faz centenas de ligações, inicia conversas com desconhecidos em eventos e consegue lidar com uma sala cheia de executivos.

Mas isso acaba quando alguém começa a falar sobre preços.

A única coisa que pode causar medo em um vendedor é ter que conversar sobre valores.

Mesmo os veteranos sentem uma ponta de ansiedade quando precisam tocam neste tópico. A conversa sobre preços é crucial e necessária para o processo de vendas. Esse é só mais um passo natural na jornada do comprador e em algum momento eles vão querer saber “quanto custa”?

Se o vendedor fica nervoso ao falar sobre valores, o cliente começa a achar que está sendo enganado. De repente ambas as partes ficam muito cientes do que está por trás da conversa e o cliente passa a desconfiar de tudo o que o vendedor fala.

Com o cliente na defensiva, você começa a questionar se ele está passando as informações corretas, o que pode fazer você se perguntar se eles estão qualificados para tomar uma decisão e se realmente têm o orçamento para adquirir seus serviços.

Ambos começam a fazer perguntas. Isso causa uma reação em cadeia de dúvida e preocupação e você pensa que pode estar sendo “vendedor” demais. Talvez você comece a se comparar com seus competidores. Você também pode começar a questionar se o preço cobrado vale o valor que você agrega.

A sua confiança pode sofrer um golpe.


Como evitar a autossabotagem por causa do medo dos preços?

Antes de responder, temos uma pergunta para você…

Quem vai ditar a conversa sobre valores?

Você ou o cliente potencial?

Se for o cliente, você já perdeu o controle e está relegado ao papel de mero fornecedor.

Vamos esclarecer isso de uma vez por todas: o seu trabalho é agregar valor e resolver problemas para o cliente, mas VOCÊ direciona a conversa sobre vendas.

Os preços podem ser discutidos em algum momento, mas VOCÊ direciona quando isso vai acontecer. Isso vai ajudá-lo e, mais importante ainda, serve também para o cliente, pois você estará tirando a tensão da situação para ambos.

Vender já é difícil o bastante sem delegar o controle da conversa.

Se você perder o controle, fica quase impossível se posicionar como um consultor, e não como alguém que está apenas anotando um pedido. Se você tem medo dessas conversas ou gerencia uma equipe que tem dificuldades em falar sobre isso, esse guia para direcionar a conversa sobre preços foi feito para vocês.


Como superar os 4 medos mais comuns da conversa sobre preços com os clientes

Medo #1: esse é um tópico muito delicado e eu não quero parecer muito “vendedor”

Sua solução destemida

A frase “o preço só se torna um problema na ausência de valor” é muito verdadeira.

É o seu trabalho agregar valor. Demonstre isso na prática. Não apenas financeiramente, mas em toda a sua oferta de serviço.

Se o seu cliente está convencido do valor, o preço não importa. Lembre-se: você resolve problemas e agrega valor e não está ali para fazer trocas de serviços.

O autor e coach de vendas Anthony Iannarino explica por que falar sobre o seu valor pode fazer com que as conversas sobre preço sejam muito mais tranquilas:

“Ressalte todos os seus diferenciais para criar valor suficiente de modo que, mesmo que o seu preço seja mais alto, os seus resultados gerem um maior retorno para o cliente.”

Quando você usa estes diferenciais, como explica Iannarino, você se distancia dos competidores.

Ótimos vendedores se diferenciam pelo que é intangível. O comprometimento com a excelência, as melhoras constantes e o suporte proativo aos clientes são traduzidos em comprometimento ao cliente e seu negócio.

Encontre o valor absoluto que você pode trazer para a conversa e fale sobre esses diferenciais não monetários para tirar um pouco da pressão sobre o valor.

Medo #2: E se o cliente perguntar sobre o preço no início da ligação antes de você ter a chance de demonstrar valor?

Sua solução destemida

Você pode responder essa pergunta com uma pergunta apontando que o preço depende das necessidades únicas do cliente. Explique por que os custos variam de acordo com o volume, níveis de relevância, pacotes diferentes e outras variáveis.

Deixe claro que você precisa de mais informações antes de poder passar um orçamento preciso. Conduza a conversa sobre preços e procure entender o tipo de negócio do cliente, o que ele faz, como faz e por que e a partir daí estipule um valor.

Passar um orçamento imediatamente dará a sensação de que o cliente está ditando a conversa (e criando tensão). Se você passar um orçamento, vai se colocar na categoria de “apenas outro fornecedor”, e você certamente iria preferir se posicionar como um especialista confiável.

Você pode dizer que não faz orçamentos sem entender melhor os detalhes, pois precisa entender como o cliente está posicionado no mercado e para onde ele gostaria de ir. Isso vai ajudá-lo a ter uma ideia melhor do que você pode fazer por ele e assim fornecer um orçamento mais preciso.

É aí que você precisa começar a fazer uma conexão com o cliente potencial, fazendo as perguntas certas no momento oportuno para manter a conversa sob controle.

Medo #3: Falar sobre preços no início da conversa - isso vai assustá-los ou deixá-los na defensiva?

Sua solução destemida

O preço é importante em dois momentos conforme você passa o cliente pelas etapas do funil:

  1. Durante a qualificação (ele tem o orçamento para isso?)
  2. Durante o fechamento (como você se compara com a concorrência e o que está entregando por este preço).

Primeiro, se o seu cliente potencial foi bem qualificado, você sabe que ele tem o orçamento para gastar (e também importante) dentro do atual ciclo de vendas. Isso o ajuda a estabelecer o valor que você pode adicionar levando o orçamento do cliente em consideração.

Porém os clientes vão resistir. Você vai enfrentar fortes objeções, mas veja isso como uma oportunidade. Use o seu conhecimento sobre a psicologia do comprador e o viés cognitivo para manter uma conversa neutra. Você pode transformar objeções em oportunidades para focar nas necessidades específicas do cliente.

A coach de comportamento Beverly Flaxington disse que quando se trata de entender a mente do comprador, um vendedor precisa:

“Resistir à vontade de ‘superar objeções’. Quando se trata de oferecer resistência, as pessoas procuram por alguém que consiga reconhecer suas resistências, e não as ignore! Se um cliente potencial faz uma objeção do tipo ‘Há muita coisa acontecendo aqui, não consigo me focar’, não é seu papel mostrar a eles como eles podem se focar. O seu papel é entender o que está acontecendo com eles, respeitá-los e entender se é possível remover o obstáculo ou não. Você só poderá fazer isso se entender como operar com o desejo verdadeiro de entender a mente do comprador.”

Coloque-se ao lado do cliente. Escute realmente o que ele está dizendo e tome nota de qualquer resistência ou obstáculo potencial. Mostre a ele que você entende o que ele está falando e continue fazendo perguntas para chegar ao real problema e então trate disso diretamente.

Medo #4: e se formos mais caros que os concorrentes? Ou eles disserem que meu preço é muito alto?

Sua solução destemida

Eu conversei com Mike Weinberg, The New Sales Coach e autor do bestseller “Sales Management. Simplified.” O conselho de Mike é simples:

“Fique GRATO por ter um valor mais alto porque isso significa segurança no trabalho. Por quê? Bem, porque se você tivesse algo barato e de baixa qualidade o cliente não iria precisar de vendedores bem pagos para fazerem as vendas, não é?”

Ele também dá conselhos estratégicos sobre como lidar com esta situação de maneira eficaz:

“Nosso trabalho como vendedores profissionais é justificar a diferença entre nosso valor premium e o valor de mercado.”

Se o cliente disser que o seu preço é mais alto do que o dos competidores, Weinberg sugere que você responda com algo como:

“Eu espero que sim! Há muitas razões para isso, e por isso muitas (empresas similares no mesmo ramo etc) nos escolheram.”

É dessa forma que você recupera o controle das conversas sobre preços. Você se coloca em uma posição em que pode mostrar seus diferenciais e o valor do que está oferecendo, fazendo o cliente reconsiderar sua perspectiva.


Transforme o medo em confiança e controle as conversas sobre preços

Quando você controla a conversa e não hesita em falar do preço, você passa confiança no que está oferecendo. O cliente vai ficar impressionado com o que diferencia a sua empresa e com o modo como você agrega valor. Se mesmo assim ele não tiver o orçamento, você pode removê-lo do funil sabendo que fez o seu melhor.

Quando o cliente tiver o orçamento adequado, e se você tiver falado claramente sobre o valor da sua oferta, você será a primeira opção.

Seu guia de comunicação de vendas está aqui

Este Guia de Comunicação de Vendas, criado por especialistas em vendas do Pipedrive, ensinará você a ir além de suas conversas de vendas e fechar mais negócios

Compartilhe sua opinião com nossa Comunidade

Inicie ou continue a conversa com profissionais de vendas e marketing que compartilham as mesmas opiniões em nossa Comunidade.

Junte-se à nossa Comunidade