Impulsione suas vendas pela internet e televendas 2.0

Impulsione vendas pela internet

O mundo está passando por transformações e, com a crise da COVID-19, a adoção radical de tecnologias tem se acelerado.

As mudanças que esperaríamos ver em 10 anos estão acontecendo em seis meses ou menos, o que obriga as empresas e o mercado a serem mais criativos e a se reinventarem se quiserem sobreviver.

Além disso, a era digital não faz distinção entre setores do mercado, número de clientes ou trajetórias. O mundo das vendas está migrando e atuando ativamente em um espaço digital.

O comércio eletrônico, as redes sociais, a magia do e-mail marketing e as plataformas de gestão de vendas têm sido os protagonistas dessa história.

Por isso, decidimos trazer este guia para ajudá-lo a impulsionar e otimizar as vendas online da sua empresa. Vamos explorar diferentes técnicas, ferramentas e métodos inovadores para você aprender como vender pela internet e dominar as vendas 2.0.

O que significa “vendas 2.0” e como essa prática transformou as vendas no mundo digital?

O termo vendas 2.0, isto é, vendas com ferramentas digitais e pela internet, surgiu em 2006, e ganhou mais popularidade nos últimos anos. Atualmente, a prática foca (mas não se limita) nas vendas através das redes sociais.

A internet transformou a maneira como as empresas e os consumidores compram e vendem.

As vendas 2.0, ou pela internet, procuram se adaptar aos clientes de hoje em dia, que têm muito mais acesso às informações sobre os serviços ou produtos que desejam comprar.

Por exemplo, antes de tomar uma decisão de compra, você mesmo já deve ter procurado a opinião de clientes que adquiriram o mesmo produto que você deseja, ou então, lido análises em sites especializados. Os canais mais visitados costumam ser blogs, YouTube, comunidades do Facebook, perfis do Instagram, fóruns, entre outros.

É por isso que as vendas e o marketing digital devem unir estratégias para explorar esses canais e atingir seu público-alvo. Mais do que nunca, ambos setores precisam ter um entendimento profundo das preferências e comportamentos dos consumidores, a fim de lhes fornecer informações úteis e melhor atender às suas necessidades.

Segundo a 42ª edição do Webshoppers, importante e recente estudo sobre comércio eletrônico realizado pela Ebit | Nielsen em parceria com Elo, no primeiro semestre de 2020, as vendas online tiveram a maior alta no Brasil em 20 anos, cenário bastante positivo acelerado pela pandemia, principalmente a partir do mês de abril.

Outros insights relevantes da pesquisa são:

  • As vendas online tiveram uma expansão de 40%, chegando aos 41 milhões de consumidores;

  • Desses consumidores, 40% são recorrentes e 38% são novos;

  • A partir do segundo trimestre de 2020, os heavy users (que compraram online acima de 4 vezes no semestre) foram responsáveis por 58% das compras, ao passo que os light users (que compraram de 0 a 3 vezes) representaram 42%;

  • Com o aumento do número de pedidos, o ticket médio aumentou em 6% em relação ao 1° semestre de 2019.

  • Uma análise sobre a intenção de compra mostra que as pessoas não vão parar de comprar online tão cedo. Inclusive, para algumas categorias, o crescimento chega a ser 4x o aumento da intenção de compra (em contraste com o terceiro trimestre de 2019)

  • Na opinião dos participantes, os atributos mais relevantes para uma boa experiência de compra incluem navegação e personalização do site ou aplicativo, eficiência do frete por região e capital/interior, facilidades para a conclusão da compra, diversidade nos meios de pagamento, atendimento pós-compra e coerência de estratégias entre a loja física e online (no caso dos varejistas que são marketplace, assunto que abordaremos mais adiante).

Mas com tanta concorrência no mundo das vendas na internet, você já parou para se perguntar qual é o papel do marketing digital? 

Marketing digital e vendas digitais: são a mesma coisa?

E qual é a diferença entre ele e as vendas digitais?

Existem diferenças e semelhanças entre o marketing digital e as vendas digitais. Vamos analisá-las e ver como ambas as áreas se complementam para alcançar um equilíbrio estratégico.

Semelhanças:

  • O objetivo de ambas as áreas é aumentar a receita da empresa: elas buscam acelerar as vendas através de canais mais dinâmicos e captar leads mais qualificados;

  • Ambas se esforçam para envolver o público com a marca, produto ou serviço: abrem espaço para os seguidores e prospectos comentarem, compartilharem conteúdo e deixarem feedback. 

Em algumas empresas, o marketing e as vendas digitais trabalham com o mesmo funil de vendas, porém atuam em etapas diferentes e até se complementam. 

O marketing digital se concentra na primeira etapa do funil de vendas, ou etapa de conhecimento. Suas ações costumam se basear em campanhas online e presença nas redes sociais, para que os clientes potenciais descubram a marca.

Quando os leads demonstram interesse e consideram fazer uma compra, a área de marketing entrega os mais qualificados à equipe de vendas na internet, cujos profissionais passam a cultivar o relacionamento com eles e os guiam até o fechamento.

Alguns canais onde o desenvolvimento do marketing e das vendas na internet pode ocorrer são
:

  • Site: gera tráfego de clientes potenciais e os converte.
  • Redes sociais: são uma vitrine para publicação de conteúdos relacionados à marca e de vendas.
  • E-mail: oferece conteúdo informativo, boletins semanais e ofertas.

Como vender pela internet para clientes B2B e B2C

Vender para clientes B2B (Business to Business) é oferecer seus serviços ou produtos de empresa para empresa. Em contraste, B2C (Business to Consumer) é a venda direta ao consumidor final.

Confira algumas outras diferenças entre essas práticas de vendas:

B2B

  • Menos clientes;
  • Pedidos maiores;
  • Pedidos com ticket maior;
  • Tempo de decisão maior;
  • Relações mais duradouras.


Com esse tipo de cliente, é primordial personalizar sua oferta, discurso e apresentação de vendas. 

B2C

  • Mais clientes;
  • Pedidos menores;
  • Pedidos com ticket menor;
  • Menor tempo de decisão;
  • Relações mais curtas.

Enquanto as empresas B2B buscam captar clientes potenciais com um longo ciclo de vida, as B2C se concentram mais na receita.

Em B2B, procura-se informar e educar os clientes potenciais. Já em B2C, o objetivo é provocar emoção e criar uma conexão mais rápida com eles.

Cada tipo tem suas próprias estratégias e princípios, mas podem compartilhar um roteiro parecido em suas vendas online. Vejamos as semelhanças:

  1. Tanto em B2B quanto em B2C é crucial conhecer a persona do comprador ideal;
  2. Em ambos os casos, também é importantíssimo ter uma estratégia clara a seguir: obter dados, opiniões para aprovar o produto ou serviço, identificar pontos fracos, etc;
  3. A criação de conteúdo, ou seja, o que você diz e como você diz, é muito importante, independentemente de você vender para uma empresa ou consumidor;
  4. Metas são estabelecidas e o desempenho é medido constantemente.

Javier Molina, da Impacting Digital, empresa portuguesa que promove o desenvolvimento de estratégias e processos de transformação digital de negócios, observou que o comportamento dos clientes B2B tem se assemelhado cada vez mais ao dos clientes B2C.

A maioria busca experiências omnichannel (isto é, contato através de vários canais ao mesmo tempo) e isso tem levado ao uso de estratégias de vendas na internet similares para ambos os perfis de cliente.

Além disso, há uma realidade que sempre estará presente em B2B e B2C: as pessoas preferem fazer negócios com pessoas.

Independentemente do tamanho das organizações, há pessoas por trás de todas as grandes compras.

Se você deseja que sua equipe tenha relações mais estreitas com seus clientes, procure:

  • Enviar mais e-mails personalizados;
  • Conversar mais em vez de focar nos discursos difíceis;
  • Não tratar as pessoas como ativos;
  • Conectar-se com os clientes nas redes sociais.

Incentive seu time de vendas a se preocupar com a pessoa do outro lado do telefone, da publicação ou do e-mail. Uma maneira de começar a colocar essa visão em prática é desenvolvendo suas habilidades interpessoais.

É possível ser profissional e acessível, autêntico e comprometido, e, ao mesmo, buscar bons resultados comerciais, motivando positivamente sua equipe para alcançá-los.

Como otimizar seus canais de venda

Para optimizar qualquer canal de venda, é necessário ter um bom conhecimento do mesmo. Você deve saber como seus consumidores interagem através dele e como decidem fazer uma compra. A essa altura, você já deve ter um perfil claro de seu cliente alvo.

Veja desta forma: ter uma vitrine física não é o mesmo que ter uma loja online. Cada um desses espaços, ou canais, tem processos específicos, e isso precisa estar claro para qualquer líder de vendas.

Alguns canais que podem ajudar você a impulsionar as vendas online são:

  • Comércio eletrônico: se sua empresa trabalha com vários produtos, é um bom canal para começar a vendê-los. Basicamente, é uma loja virtual na qual você pode montar um catálogo com descrições detalhadas, preços, descontos, etc;
  • Página de vendas: é uma página específica dentro do site da empresa que não contém menus ou outras seções. Aqui, o foco é em um único produto ou serviço. Costuma ser muito utilizado em B2B e também para vender e-books ou cursos online;
  • Redes sociais: canais muito populares que possuem lojas virtuais dentro de suas plataformas. Exemplos óbvios são o Facebook Shop, Instagram Shop ou LinkedIn, que contêm uma base importante de todos os tipos de empresas;
  • Marketplace: são plataformas virtuais que permitem o registro de fornecedores independentes. Alguns exemplos são o Mercado Livre e a Amazon. O Pipedrive também tem um marketplace que conecta seus serviços a outros aplicativos ou plataformas para melhorar a experiência do usuário.
  • Google Shopping: funciona em conjunto com o Google Adwords e exibe os produtos em listas. Nos detalhes, você pode ver o nome do produto, preço e onde encontrá-lo.


Como vender pela internet e explorar o trabalho remoto em tempos de crise

Algumas empresas mais tradicionais não conseguem enxergar muito bem as vantagens do trabalho remoto e das vendas pela internet e ainda pensam que é melhor trabalhar a partir de um escritório e vender pessoalmente.

Mas, com boas ferramentas, você pode dar um salto digital satisfatório e reduzir o impacto da crise.

Segundo esta publicação da Exame, algumas startups e pequenas empresas conseguiram mudar completamente seu modelo de negócios em poucos dias, por livre e espontânea vontade, para atender a uma demanda do mercado, criando novos serviços e plataformas, que, inclusive, serviram de auxílio para comércios menores.

Já outros negócios se viram obrigados a isso, mas o fato é que quem teve “jogo de cintura” para se adaptar digitalmente e driblar os obstáculos causados pela pandemia tem colhido bons frutos.

Prova disso é o recente boom” que o e-commerce teve no Brasil. Segundo a ABComm, mais de 100 mil lojas já aderiram às vendas pela internet, e o Brasil registrou um aumento de 400% no número de lojas que abriram o comércio eletrônico por mês durante o período da quarentena.

Tenha em mente que um bom treinamento para sua equipe é crucial para o sucesso das vendas na internet e do trabalho remoto.

Entre as vantagens do trabalho e das vendas remotas temos:

Economia de custos e tempo

  • Menos gastos com aluguel, transporte e refeições;
  • Menos tempo de deslocamento até o local de trabalho. Isso fará com que seus vendedores se sintam menos estressados e mais motivados a vender.

Um maior equilíbrio entre trabalho e vida pessoal

Incentive sua força de vendas a administrar melhor seu tempo para produzir bons resultados.

Oportunidade de desenvolvimento profissional


Ter um ambiente de trabalho mais flexível pode ajudar muitos membros da equipe de vendas a se sentirem motivados, inspirados e não tão pressionados pela competição interna.

Em casa, você encontra motivação em si próprio. Isso ajuda a desenvolver vontade e as características mentais que fomentam as atitudes pró-ativas.

Melhorias na comunicação


Por incrível que pareça, o trabalho remoto melhora a comunicação entre líderes e colaboradores. A razão disso é que as pessoas sabem que, na comunicação eletrônica, pode haver mal-entendidos.

Isso proporciona mais precisão ao seu trabalho. E a tendência é que as equipes se comuniquem com mais frequência e clareza com seus supervisores.

Possibilidade de atrair talentos de qualquer parte do mundo


Você pode começar a explorar a ideia de trazer profissionais estrangeiros para sua equipe de vendas, agregando valor à sua operação.

Acesso a um mercado maior


Sua rede de contatos pode ser expandida e gerar possibilidades de vendas em novos mercados. Você não precisa se concentrar em encontrar prospectos apenas na sua localidade ou região.

Como usar seu CRM e outras ferramentas digitais para gerenciar suas vendas online

Um aliado que todo gestor e toda equipe de vendas online precisa ter é o CRM. Ele permite:

  • Monitorar a saúde da empresa e melhorar as relações comerciais remotamente;
  • Visualizar o funil de cada membro da equipe. O CRM dá pleno acesso a estatísticas, fluxos de negócios, perspectivas, previsões e muito mais para que haja um alinhamento perfeito;
  • Armazenar as informações, acordos, oportunidades e comunicações do cliente de forma ordenada;
  • Fornecer um fluxo de vendas automatizado.

Confira algumas ferramentas digitais para melhorar o processo de vendas on-line:

Gerenciamento de mensagens

  • Pipechat: é uma extensão do navegador Google Chrome que permite gerenciar as mensagens e contatos do WhatsApp no Pipedrive. Você pode adicionar as ofertas diretamente na plataforma.

Gestão de propostas e contratos

Gestão da comunicação

  • Dealbot para Slack: o Dealbot pode ser sincronizado com o Slack, um ferramenta de comunicação para equipes. Ele permite coordenar vários membros da sua equipe e ajudá-los a fechar as vendas. Também serve para manter todos da empresa informados sobre a situação dos negócios.

  • Zoom: é uma das plataformas mais populares para fazer chamadas de vídeo no Brasil. Você pode agendar reuniões com alta qualidade de imagem e seu uso é muito intuitivo. 

Automatização de escritórios

  • Google Suite: um conjunto de ferramentas de mesa (processador de texto, apresentações, planilhas, etc.) que são armazenadas na nuvem e que você pode gerenciar e enviar com seu e-mail comercial. 


Essas ferramentas podem ser integradas ao seu CRM, permitindo que você organize todos os dados de seus prospectos e clientes, faça o acompanhamento deles e automatize seu processo de vendas.

Métodos e técnicas para vender à distância

A tecnologia está avançando muito rapidamente, os hábitos de consumo estão mudando e as formas de vender também. Portanto, é vital saber como as técnicas de vendas presenciais podem ser adaptadas para as vendas pela internet e por telefone:

Modelos de SDRs


O modelo de Representantes de Desenvolvimento de Vendas (do inglês, Sales Development Representatives) consiste em uma equipe de profissionais que fazem uma avaliação inicial dos prospectos, permitindo que os representantes concentrem seus esforços nos mais qualificados.

Quem são esses prospectos no mundo online?

  • Assinantes da sua newsletter que estejam interessados em suas ofertas;
  • Os usuários que mais interagem com suas publicações;
  • Usuários que enviam mensagens privadas para consulta; 
  • Os usuários que geram tráfego no seu site constantemente;
  • Usuários que iniciaram uma compra, mas não a concluíram. 

Dependendo do canal, diferentes ferramentas digitais podem ser usadas para identificá-los a tempo. Por exemplo, se um usuário visita e interage com as páginas do seu site com muita frequência, um primeiro passo pode ser enviar-lhe uma mensagem privada. Se houver interesse, você pode obter os dados dele e agendar uma reunião.

O objetivo final do modelo de SDR é criar uma estratégia simples e eficaz de qualificação de prospectos.

Mensagens e chamadas frias


Se você entrar em contato com os leads certos, as chamadas telefônicas e mensagens frias podem ser eficazes. Porém, você precisa garantir que a sua equipe de vendas não vai cometer nenhum erro.

Esse tipo de contato, especialmente para os tomadores de decisão, deve agregar valor em um momento que seja pertinente para seus prospectos.

Antes de ligar, você deve refinar seu discurso de vendas. Para fazer isso:

Identifique seus prospectos
: estude o comportamento deles na web e nas redes sociais e qualifique-os;

Obtenha informações
: para criar uma mensagem personalizada, você precisa de dados. Pesquise minuciosamente e tente descobrir do que o prospecto pode estar precisando no momento. Informe-se sobre o setor de mercado em que ele atua e verifique se ele realmente tem condições de fechar a compra;

Cuidado com seu tom e linguagem
: fale de um jeito que transmita confiança. Seja o tipo de pessoa que consegue tranquilizar os clientes quando estes enfrentam um desafio. Durante a conversa, preste atenção no que e como eles dizem, para que você consiga se conectar através do seu tom e linguagem;

Leve o contexto em consideração
: em tempos de crise, ter empatia é fundamental. Escute seus prospectos e entenda o que está se passando na empresa deles. As mensagens devem focar primeiramente no bem-estar e, somente depois, nos negócios;

Meça seu desempenho
: utilize ferramentas digitais para obter suas métricas de vendas. Um exemplo de onde usá-las é no rastreamento de chamadas qualificadas semanal ou mensalmente. As métricas permitem que sua equipe de vendas compreenda melhor o impacto de seus resultados.

Cross-selling e ofertas personalizadas

O cross-selling (ou venda cruzada) é uma técnica que consiste em oferecer produtos ou serviços complementares ao que um cliente deseja comprar ou já comprou anteriormente. 

Normalmente, é empregado antes do término de uma compra (online, por chat ou telefone). Em lojas digitais, chama-se atenção dos clientes com frases como:

  • Você comprou XX, por isso, temos uma oferta especial;
  • Sugestões para você;
  • Produtos recomendados;
  • Outros clientes também compraram;
  • Coloque também no seu carrinho.

É uma ótima maneira não apenas de fechar uma venda online, mas também de melhorar a experiência de compra com outros produtos relevantes para seu cliente.

Alguns exemplos práticos de cross-selling podem ser vistos em empresas como Netshoes, que envia ofertas de meias logo depois que os clientes compram um tênis, e o McDonald's, que, ao vender um lanche, oferece batatas fritas e sobremesas.

No mundo do B2B, você pode fazer vendas cruzadas (que são diferentes de vendas casadas) oferecendo outras linhas de negócios para os clientes. E a probabilidade de fecharem a compra é maior, uma vez que já conhecem e confiam nos seus produtos e serviços.

Vantagens do cross-selling em B2B e B2C:

  • Apresenta novos produtos aos seus clientes e libera seu estoque;
  • Expande o banco de dados sobre seus clientes: você pode descobrir mais sobre as necessidades e interesses deles para oferecer serviços personalizados;
  • Incentiva a interação dos usuários: esse modelo permite que seus clientes conheçam e interajam mais com sua marca.

Vendas pelas redes sociais (Social Selling)

Um dos canais mais poderosos para vender online são as redes sociais. Esse modelo funciona tanto para B2C quanto B2B, porque os clientes pesquisam na internet antes de fazerem uma compra.

Segundo o relatório State of Sales 2018, produzido pelo LinkedIn, os melhores vendedores afirmam que plataformas como ele próprio são importantes para fechar negócios e fazem parte da sua estratégia de vendas. 70% dos profissionais de vendas dizem que são mais ativos no LinkedIn para fins comerciais, em comparação com plataformas de mídias sociais, como Facebook (64%) e Twitter (43%).

Nas redes sociais, o atendimento ao cliente é muito importante. Ele agrega valor aos consumidores e responde às perguntas e comentários dos mesmos para cultivar o relacionamento.

É por isso que é importante estudar cada meio social em que a sua marca está. E concentre-se naquele que reúne mais prospectos para otimizar suas vendas naquele canal.

Cada rede e formato tem sua própria dinâmica e usuários, mas as plataformas de vídeo estão em expansão. Por exemplo, as estatísticas do Google revelam que o vídeo será o formato mais popular para anúncio de produtos e serviços nos próximos anos. Os usuários preferem ver como uma pessoa interage com um produto ou serviço em vez de ler um manual ou chamar um técnico.

Os famosos testes gratuitos


É uma técnica de vendas que ganhou muita popularidade no comércio eletrônico.

O famoso “você pode cancelar o serviço ou devolver o produto” é amplamente utilizado pela maioria das plataformas de serviço online, como Netflix, Amazon Prime, Youtube, etc.

Baseia-se no fato de o usuário poder experimentar o produto ou serviço gratuitamente, e escolher se deseja comprá-lo ou não. Essa técnica proporciona ao usuário poder de decisão e autonomia.

Entretanto, em “testes gratuitos” (especialmente em B2B), você deve seguir uma série de passos para converter esses potenciais clientes em clientes:

  • Personalize o teste, por exemplo, liberando as funções em que o prospecto está mais interessado;
  • Forneça instruções claras para tirar proveito das melhores funcionalidades do seu serviço ou produto;
  • Considere prolongar o período de teste se o cliente potencial demonstrar interesse, mas não tiver tido tempo suficiente para decidir sobre a compra.

Técnicas de vendas à distância a serem evitadas

Fazer ligações frias, sem uma prospecção de qualidade.

Isso não apenas é intrusivo para muitos usuários, como também altamente ineficaz. O melhor a se fazer é trabalhar de forma inteligente com prospectos com uma alta taxa de conversão.

O tempo é crítico. Você deve ter uma estratégia para ligar no momento certo. Se você utiliza canais para obter leads, o melhor momento para ligar é uma hora após o registro de uma interação.

Outra prática a ser evitada é o envio de e-mails em massa e que pareçam suspeitos. Uma boa maneira de evitar isso é personalizar suas mensagens com assuntos de qualidade, mencionar o nome do possível cliente e acrescentar informações sobre sua relação comercial. 

Sites não otimizados e chatbots muito robóticos


Um site que não oferece uma boa UX (experiência do usuário) não é muito confortável para se fazer compras. É como ir a uma loja e encontrar todos os produtos em uma prateleira sem rótulos ou não separados por seções, ou seja, uma loja em que o cliente precisa examinar cada item para encontrar aquilo que precisa.

A experiência do usuário se baseia no conhecimento do cliente e em se colocar no lugar dele.

Ao contrário dos sites que se concentram no modelo B2C, no caso B2B, você precisa ir mais fundo nas informações sobre o serviço que oferece e sobre a empresa. O consumidor B2B é curioso e quer sempre saber mais sobre a organização. Também busca referências e guias para ajudá-los a saber como será fazer a experiência de fazer negócios com a mesma.

Com uma boa UX, você pode fazer com que seu prospecto volte ao site várias vezes, compartilhe-o com a equipe e baixe conteúdos como guias, e-books, infográficos e apresentações.

Outras reflexões que devemos fazer para ter certeza de que os usuários vão querer visitar nosso site novamente são:

  • O site carrega rapidamente?
  • É fácil de navegar nele?
  • A experiência de navegação é tão boa em um computador quanto em um dispositivo móvel? 
  • Os textos são simples, específicos e claros?
  • Os ícones são fáceis de decifrar?
  • As etapas para adquirir ou solicitar informações extras são muito longas?
  • Que canais de atendimento direto você oferece?

Com essas perguntas, você pode diagnosticar o desempenho da sua plataforma e oferecer a melhor experiência possível.

Chats de atendimento online ao cliente


Os chatbots, assistentes virtuais que oferecem respostas automáticas, tornaram-se muito populares. Eles são programados com inteligência artificial para resolver questões simples de forma rápida e eficiente. Com um chatbot é possível:

  1. Automatizar as perguntas mais frequentes e tirar as dúvidas dos clientes;
  2. Obter dados de clientes de forma amigável;
  3. Melhorar a imagem da sua organização e diferenciá-la da concorrência.

Mas tenha em mente que:

  1. Um chatbot nunca substituirá o atendimento humano;
  2. Algumas consultas podem ser muito difíceis de prever ou automatizar.

Uma boa ideia é usar os chatbots apenas para responder perguntas fáceis e transferir as mais complexas para um agente.

Como gerenciar sua equipe remotamente


A prioridade dentro de qualquer equipe de vendas deve ser a existência de uma estrutura de clara de tarefas.

Este breve guia pode lhe dar uma ideia de como coordenar as primeiras reuniões:

  • Defina em qual plataforma você realizará as reuniões e monte um cronograma de trabalho para cada semana; 
  • Faça uma videochamada com sua equipe no início do dia ou da semana para uma rápida revisão do fluxo de trabalho; 
  • Ajuste suas metas a cada semana. 
  • Faça reuniões individuais: reúna-se  individualmente com cada vendedor para que eles possam se expressar livremente sobre a experiência de trabalho à distância que estão tendo.
  • Seja positivo! Lembre-se de que estamos todos passando pela mesma situação e tendo de aprender as coisas juntos. 

Como líder de vendas, é importante conhecer os resultados que a equipe teve com os prospectos. Entretanto, essas informações podem ser acessadas através da leitura de um relatório semanal.

Então, no que devemos nos concentrar?

Nas conversas.

Trate de manter-se no presente com os vendedores e orientá-los para que:

  • Fiquem claras as necessidades comerciais do cliente;
  • Fique claro o diferencial da proposta da empresa;
  • Consigam identificar quem são os tomadores de decisão;
  • Conheçam a concorrência e tenham uma noção de como o mercado está mudando. Isso os ajuda a diferenciar o discurso e adaptar as melhores práticas ao processo de vendas;
  • Entendam a quanto podem chegar seus lucros. Isso aumenta a confiança deles e os leva a buscar melhores resultados.

No Pipedrive, identificamos três prioridades que podem ajudar você a gerenciar sua equipe de vendas durante a crise da COVID-19:

  1. Crie mensagens amigáveis para se comunicar com seus colaboradores e público;
  2. Evite a perda total do funil;
  3. Identifique oportunidades de negócios. 

Conclusão

As regras do mundo comercial mudaram muito este ano, e as modalidades de vendas continuarão a evoluir. 

As crises nos ensinam que devemos estar preparados para as mudanças e nos convidam a repensar a maneira como estamos trabalhando.

Hoje, as redes sociais são cruciais para funis de vendas à distância, tanto no modelo B2C como B2B. Aproveite todos os seus canais comerciais para que elas se tornem uma fonte direta de leads para o seu negócio. 

Descubra como automatizar seus canais de comunicação para dar respostas imediatas aos seus prospectos, mas adote sempre um tom amigável e mensagens personalizadas.

Não pense apenas em vender. Procure educar e orientar seus clientes. Pesquise e mostre que você se importa com as necessidades deles, pois isso lhe permitirá direcionar e dar mais foco às suas estratégias e técnicas de vendas. 

Ao vender online, a forma como você trabalha pode mudar. Mas você tem capacidade de ser tão profissional quanto é nas vendas presenciais. As ferramentas digitais são acessíveis e muito úteis e serão suas melhores aliadas nessa nova jornada.

E não se esqueça de estar em constante aprendizado. O mundo 2.0 ainda nos propõe muitos desafios, que, se solucionados, podem beneficiar muitos modelos de negócios.

atualizacoes pipedrive novembro 2020
Artigo anterior:
Caso você tenha perdido… Atualizações do Pipedrive em novembro de 2020
Superando Objeções de Vendas
Próximo artigo:
Superando Objeções de Vendas: planeje, persista, converta